Calendário copta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Calendário egípcio no Templo de Kom Ombo, ainda sem menção aos cinco dias epagomenais.

O calendário copta, também conhecido como calendário alexandrino, é o calendário litúrgico do rito alexandrino, utilizado principalmente pela Igreja Ortodoxa Copta, mas também por egípcios modernos em menor extensão. O calendário foi introduzido por Ptolomeu III Evérgeta através do Decreto de Canopo em 238 a.C., baseado nos calendários egípcio e juliano.[1] Esta reforma, contudo, foi rejeitada pelos sacerdotes egípcios, sendo adotado apenas em 25 a.C., por decreto de Augusto. Para distingui-lo do antigo calendário egípcio, utilizado por alguns astrônomos até a Idade Média, é conhecido como calendário copta. Seus anos e meses coincidem com o calendário etíope, mas têm diferentes nomes e números.

Ano copta

O ano copta é uma extensão do antigo ano egípcio, retendo sua divisão entre três estações, cada uma com quatro meses, cada mês com 30 dias, assomando-se um mês adicional com cinco ou seis dias. Este mês adicional, chamado Pi Kogi Enavot, dura cinco dias em anos comuns e seis em anos bissextos, sendo tecnicamente conhecido como mês intercalar ou dias epagomenais. O ano bissexto copta funciona como o ano juliano, com a adição de um dia a cada quatro anos, sem exceções, o que crescentemente cria distância com o ano gregoriano. As três estações são comemoradas por orações especiais no rito alexandrino.

A festa de Neyrouz (em árabe: نيروز) marca o primeiro dia do calendário árabe. O nome da festa é uma confusão histórica, resultada da confusão por parte dos árabes originada na expressão copta Ni-Yarouou ("festa dos rios"), que foi traduzida para o grego e posteriormente confundida com a expressão persa Nowruz (em persa: نوروز), denotando o ano novo no calendário persa.[2] A data cai sempre no primeiro dia do mês Thout, e é celebrada com hinos pela Igreja Ortodoxa Copta. Entre 1901 e 2098, a data cai em 11 de setembro, exceto em anos bissextos gregorianos, quando se situai em 12 de setembro.

Anos coptas são contados a partir de 284, ano em que Diocleciano se tornou imperador romano, iniciando uma era marcada pela Grande Perseguição, com torturas e execuções em massa de cristãos, especialmente no Egito. Por isto, o ano copta é identificado pela expressão Anno Martyrum (em latim, "do ano dos mártires"), sendo abreviado por A. M. assim como o Anno Mundi de outros calendários, mas tendo outro significado.

Meses e estações

Abaixo, uma lista com os meses e estações do ano copta. Há uma variedade de pronúncias em uso por cristãos coptas na diáspora, a qual não será explorada aqui, limitando-se, pois, às transliterações diretas dos nomes dos meses nos dois principais dialetos da língua copta (saídico e boáirico) e no árabe moderno.

Meses coptas
Número Nome Equivalentes gregorianos em anos comuns (1901 - 2099) Temporada Significado do nome
Boáirico Saídico Árabe
1 Ⲑⲱⲟⲩⲧ Thōut Ⲑⲟⲟⲩⲧ Thout توت Tūt 11 de setembro10 de outubro Akhet (inundação) Tot, deus da sabedoria e da ciência
2 Ⲡⲁⲟⲡⲓ Paopi Ⲡⲁⲱⲡⲉ Paōpe بابة Bābah 11 de outubro9 de novembro Hapi, deusa do Nilo
3 Ⲁⲑⲱⲣ Athōr Ϩⲁⲑⲱⲣ Hathōr هاتور Hātūr 10 de novembro9 de dezembro Hator, deusa da beleza e do amor
4 Ⲭⲟⲓⲁⲕ Khoiak Ⲕⲟⲓⲁⲕ Koiak كيهك Kiyahk 10 de dezembro8 de janeiro "Bem do bem", Ápis
5 Ⲧⲱⲃⲓ Tōbi Ⲧⲱⲃⲉ Tōbe طوبة Ṭūbah 9 de janeiro7 de fevereiro Proyet, Peret ou Poret (crescimento, da natureza e da chuva) Amso Khem, formam de Ámon
6 Ⲙⲉϣⲓⲣ Meshir Ⲙϣⲓⲣ Mshir أمشير Amshīr 8 de fevereiro9 de março "Incensador", gênio do vento
7 Ⲡⲁⲣⲉⲙϩⲁⲧ Paremhat Ⲡⲁⲣⲙ̀ϩⲟⲧⲡ Parm-hotp برمهات Baramhāt 10 de março8 de abril Montu, deus da guerra
8 Ⲫⲁⲣⲙⲟⲩⲑⲓ Pharmuthi Ⲡⲁⲣⲙⲟⲩⲧⲉ Parmute برمودة Baramūdah 9 de abril8 de maio Renno, severe wind and death (vegetation ends; earth is dry)
9 Ⲡⲁϣⲟⲛⲥ Pashons Ⲡⲁϣⲟⲛⲥ Pashons بشنس Bashans 9 de maio7 de junho Shomu ou Shemu (colheita) Khenti-Amentiu, forma de Hórus e deus dos metais
10 Ⲡⲁⲱⲛⲓ Paōni Ⲡⲁⲱⲛⲉ Paōne بؤونة Ba’ūnah 8 de junho7 de julho "Festa do vale"
11 Ⲉⲡⲓⲡ Epip Ⲉⲡⲓⲡ Epip أبيب Abīb 8 de julho6 de agosto Apep, serpente morta por Hórus
12 Ⲙⲉⲥⲱⲣⲓ Mesōri Ⲙⲉⲥⲱⲣⲏ Mesōrē مسرى Masrá 7 de agosto5 de setembro Nascer do sol
13 Ⲡⲓⲕⲟⲩϫⲓ ⲛ̀ⲁ̀ⲃⲟⲧ Pikugi n-abot Ⲕⲟⲩϫⲓ ⲛ̀ⲁ̀ⲃⲟⲧ Kugi n-abot نسيئ Nasī’ 6 a 10 de setembro "O pequeno mês"

Bibliografia

  • Kosack, Wolfgang (2012). Der koptische Heiligenkalender. The Calendar of the Coptic Holies. Deutsch – Koptisch – Arabisch nach den besten Quellen neu bearbeitet und vollständig herausgegeben mit Index Sanctorum koptischer Heiliger, Index der Namen auf Koptisch, Koptische Patriarchenliste, Geografische Liste. Berlim: Christoph Brunner. ISBN 978-3-9524018-4-2 

Referências

  1. Bennett, Christ. «The Canopic reform». Tyndale House. Consultado em 24 de janeiro de 2018 .
  2. Malaty, Tadros. «The Feast of Nayrouz». St. Takla Haymanout Coptic Orthodox Website. Consultado em 24 de janeiro de 2018